Ano novo

2016 se iniciou.

Ok, já tem um mês que o ano começou. Eu tinha planejado fazer aquele post lindo sobre mais um ano que se inicia,  falando sobre todas as oportunidades novas que teremos, com aquela listinha básica de planos para o ano e la,la,la,la.

Bem, não fiz isso, como pode-se ver. Pela primeira vez em alguns anos, eu não fiz a tal lista de resoluções para o ano novo. E por que isso?

Porque, na grande maioria das vezes eu não consigo seguir essa lista. E acabo ficando frustrada e magoada comigo mesma por mais uma vez não conseguir manter o foco nos meus planos. E fico triste comigo mesma.

Então fiz diferente: respirei fundo, e dei boas vindas a esse ano novinho em folha que se apresenta pra mim.

Claro que no meu subconsciente eu sei das coisas que quero. Mas o não listar fez com que elas não se tornem uma coisa obrigatória, que vai me transformar uma derrotada caso não consiga cumprir. Mas isso também não significa que eu estou sendo preguiçosa e não estou correndo atrás do que quero!

As coisas estão fluindo muito bem. O primeiro mês do ano está se cerrando e eu á consegui ler 3 livros (pode parecer besteira isso, mas eu estava levando uns 2 meses pra ler um único livrinho!!!). Eu estou conseguindo manter a minha agenda de trabalho, estou conseguindo organizar minha finanças (uhul!!!!!). Estou vendo séries com uma frequência considerável. E ficando perto das pessoas que amo também.

E ai vem a gratidão,  porque me dou conta do que consegui fazer nesses dias, e me sinto bem.  Foi natural, foi verdadeiro, não uma coisa que eu tinha que fazer porque eu tinha que riscar isso da minha lista de coisas.

Somos tão pressionados a sempre fazer tudo certinho, fazer mais coisas, maior, mais rápido, mais intenso, que a vida passa e você nem se dá conta. Esse mês de janeiro eu tirei o pé do acelerador, e ai consegui olhar pela janela e aproveitar a paisagem. Senti o ar entrando em meus pulmões; e as coisas começaram a fluir melhor. Esse é ponto que quero chegar! rsrsrs. As vezes você só precisa olhar pro lado com calma. Você vai ver que os problemas não são tão grandes assim.

E a única coisa que pedi na virada do ano foi luz.

Bem, por hora tá tudo bem iluminado por aqui 😀

E como trilha sonora para esse post, vamos ouvir Nação Zumbi.

“Não me distancio muito de mim
E quando saio não vou longe
fico sempre por perto
Depende da hora e da cor
Depende da hora,
Da hora, da cor e do cheiro
Cada cor tem o seu cheiro
Cada hora lança sua dor
E dessa insustentável leveza de ser
Eu gosto mesmo é de vida real

Eu levei
Minha alma pra passear. ”

Que seja luz

Ontem se iniciou meu ano novo pessoal.
26 anos, é um número e tanto. E o que desejo para essa nova fase que se inicia?

Bem, para a Maria Letícia, desejo que ela consiga dar valor a quem realmente merece. Que ela curta mais a família e os amigos verdadeiros. Que consiga ir mais a shows e teatros e exposições e viagens legais. Que consiga manter o foco nas suas metas. Que encontre o brilho na rotina. Desejo do fundo do coração que a Maria Leticia não tenha medo de falar o que sente. Não tenha medo de dizer oi, tudo bem? E que não se anule mais, por nada nem por ninguém.

Para a Íris Letícia, que ela consiga   manter o foco no que é importante. Que não tenha medo de ousar e ariscar. Que consiga compartilhar conhecimento. E acima de tudo, que continue a espalhar cor pelo mundo!

Feliz ano novo, dona Letícia!
Que seja luz!

image

image

image

image

image

image

image

True Colors

Esta galeria contém 16 imagens.

Semana passada eu fiz um ensaio fotográfico lindo com meus primos. Bem, como não podia ser diferente, a proposta era fazer algo com cor, mas sem ficar com cara de inocente. Acho que conseguimos alcançar o objetivo! O make é da … Continuar lendo

.

E estava com muita vontade de escrever um post. Mais que vontade uma necessidade, não quero deixar mais um projeto pela metade. E aqui é um espaço onde posso expor minha opinião.  Pois bem…

Só que não sei sobre o que escrever. Mas eu preciso! Preciso,  pra ver se essa coisa que está sobre mim desaparece. Poi é, não sei nem explicar o que sinto. Na verdade eu sei sim, mas estou com medo/receio de admitir. Mas isso vai passar, já passou uma vez. Vai passar…

Mas voltando. Acho que falava sobre necessidade. E o que me deixou assim foi novamente aquelas conversas sobre “definir o que quero para minha vida”…

Mas porque de novo isso? Porque não sigo os padrões da sociedade?  Não, isso não é pra mim. Eu sei que preciso melhorar em muita coisa, to longe de ser perfeita.  E eu quero mesmo mudar minha realidade atual. Mas por favor, não venha me falar que não quero nada da minha vida. Não me julgue mediante os seus princípios. Cada um de nós é um universo.

Por favor, respeitem o meu.

20150224_093859(2)

Chance your heart…

Pois é.. Acho que já estou anestesiada. Nem incomoda mais. A vida é cíclica,  amigos! Ainda bem né.

Eu sempre sigo esse mantra: tudo começa e acaba (acho que na verdade é mais uma armadura do que um mantra, hahaha). Huw… Será que esse é o problema? Não sei.

O bom é que com o fim, vem um novo começo. E uma nova história. E novas pessoas, coisas, experiências..

E o que fazemos no meio do caminho? Aproveitamos, Clementine!!